segunda-feira, 24 de Abril de 2017

 


Pense positivo






O médico Scott Barry Kaufman escreveu no blogue 'Scientific American' os cinco motivos pelos quais as pessoas devem ter pensamentos positivos. Em causa, explica, não está apenas a saúde e o bem-estar mental, mas também toda a condição física da pessoa.

Em primeiro lugar, o otimismo pode proteger o coração, melhorar a função do sistema imunitário e a longevidade e são já vários os estudos que o dizem, como indica uma revisão literária feita em 2012 e que revela que as pessoas com pensamentos positivos têm menos possibilidade de vir a sofrer de doenças cardiovasculares. Com a mesma conclusão foi publicado recentemente um estudo que mostra que é possível prever a morte devido a ataques de coração através das palavras usadas nas publicações do Twitter. Esta investigação diz que as pessoas que escrevem mais vezes palavras como "superar", "forte" e "fé" estão associadas a menores riscos por AVC.

Segundo o Huffington Post, experimentar o temor reduz os indicadores inflamatórios relacionados a doenças autoimunes. Parece algo complexo mas não é. De acordo com algumas investigações, experimentar situações novas e fora da nossa zona de conforto - como ouvir música clássica, dedicar-se à arte, participar em rituais espirituais e religiosos ou embarcar em literatura filosófica - faz com que as pessoas se sintam mais gratificantes e apreciadoras. O temor - ou a sensação de receio misturada com vontade - não é apenas agradável como também benéfico para a saúde física e mental, diz um estudo da Universidade da Califórnia, que concluiu que as pessoas que saíram da zona de conforto e se sentiram bem com isso apresentam menores indicadores inflamatórios relacionados a doenças auto-imunes e menos risco de sofrer doenças como Alzheimer e depressão.

Sentir compaixão e preocupação por outros melhora a função do nervo vago, revela a psicóloga Barbara Frederickson, que indica que seis semanas de meditação de amor e benignidade têm um impacto positivo nesse nervo, regulando as emoções e os sistemas cardiovascular e digestivo.

A saúde do coração e a função do sistema imunitário ficam também mais fortes quando as pessoas sentem gratidão. Além de ter os mesmos efeitos positivos na saúde que o otimismo, a gratidão melhora ainda a qualidade do sono e reduz os níveis de stresse, algo fundamental para uma boa saúde física e mental.

Sentir compaixão por si mesmo melhora os comportamentos relacionados com a saúde. Amar o corpo é amar-se a si e preservar a própria saúde. Um estudo de 2013, lê-se no Huffington Post, indica que as pessoas que sentem compaixão por si e que se preocupam com o seu bem-estar estão mais atentas a sintomas, são mais proactivas em relação à própria saúde e são menos propensas a sofrer de depressão.



Referências

  1. Is an Optimistic Mind Associated with a Healthy Heart?