segunda-feira, 24 de Abril de 2017

 
Crise  

Relatório da OCDE mostra impacto da crise na saúde






O relatório anual sobre a evolução da saúde nos países desenvolvidos (Health at a Glance), hoje divulgado, revela que Portugal está entre os países onde mais se cortou nas despesas com saúde, mas também onde aumentaram os tempos de espera para algumas cirurgias.

Pela positiva, o documento diz que existem áreas onde estamos hoje, na maioria dos países, melhor do que no passado. A OCDE recorda as descidas, que também aconteceram em Portugal, do consumo de álcool ou de tabaco.

Outro ponto onde estamos melhor deve-se à queda dos acidentes e mortes na estrada, num cenário que este relatório associa à menor actividade económica que, na prática, diminuiu o número de carros a circular nos sítios mais afectados pela crise.

Do outro lado, pela negativa, depois de vários anos em queda, a OCDE sublinha que Portugal está agora ao lado de países onde aumentaram um pouco os tempos de espera para algumas cirurgias (o mesmo ocorreu em Espanha, na Irlanda e no Reino Unido).

O crescimento destes tempos aconteceu, por exemplo, nas operações não urgentes às cataratas, à anca e ao joelho.