segunda-feira, 27 de Março de 2017

 


Soro dos sobreviventes de Ébola  é o tratamento mais eficaz






Vários países já estão a estudar qual é o melhor momento para obter o soro da auxiliar de enfermagem espanhola Teresa Romero, infetada com o vírus do Ébola e que deu negativa na primeira prova realizada no fim de semana.

A paciente deverá realizar nas próximas 48 horas um segundo teste que, se for negativo, confirmaria que o seu corpo criou anticorpos e conseguiu erradicar o vírus do Ébola, pelo que soro do seu plasma poderia ser útil para tratar outros infetados.

Luis Enjuanes, professor de Investigação do Conselho Superior de Investigações - e membro do comité especial do Governo espanhol para a crise do Ébola - explicou hoje esse processo numa entrevista à televisão espanhola Antena 3.

Está a ser determinado em vários países quando é o momento ótimo para obter o soro, já que estes soros vão melhorando com o tempo, uma vez que aumenta a atividade contra o vírus e a sua capacidade neutralizante , afirmou.

O soro de sobreviventes do vírus do Ébola tem sido usado no tratamento de Teresa Romero, algo que segundo Fernando Simón, diretor do Centro de Alertas e Emergências do Ministério de Saúde, é o que tem registado mais êxito.

Há várias drogas experimentais. Fala-se muito do Zmapp, mas as drogas experimentais não mostraram, até agora, qualquer eficácia constatável porque é difícil poder avaliá-la na forma em que se administra e, segundo, porque a única coisa que parece estar a ter algum efeito é o soro de um convalescente , explicou.

Enjuanes referiu ainda que o estado de saúde da auxiliar de enfermagem continua a melhorar e que o edema pulmonar de que sofre está a reduzir-se  muito rapidamente .

A enfermeira ficou infetada depois de tratar um dos missionários espanhóis transferidos de África com a doença e que acabaram por morrer em Madrid.

Quando o segundo teste for realizado, poder-se-á verificar que Teresa Romero está livre do vírus, caso se mantenha o resultado negativo.

Caso isso ocorra, este surto em Espanha terá terminado, num momento em que passam 21 dias sem que nenhum dos envolvidos no tratamento de Teresa Romero tenha manifestado qualquer sintoma.

Continuam também assintomáticos os outros 15 hospitalizados sob observação, estando à espera da segunda prova (depois de uma primeira negativa) duas outras pessoas.

Segundo o último balanço da Organização Mundial de Saúde (OMS), o Ébola causou mais de 4.500 mortos em cerca de nove mil casos registados na Libéria, Serra Leoa e Guiné-Conacri, os mais afetados, mas também na Nigéria, Senegal, Espanha e Estados Unidos.



Referências

  1. OMS, Ebola